Posts

Wireless testing

5 DICAS PARA COMPRAR UM CARRO USADO COM SEGURANÇA PARA A FAMÍLIA

COMO TER TRANQUILIDADE AO COMPRAR UM CARRO USADO

Nada deixa uma mãe ou um pai mais tranquilo do que saber que sua família está em segurança em todos os momentos do dia. Por isso o carro da família deve ser escolhido focando nas necessidades de transporte, mas levando em consideração itens de segurança e desempenho adequados. Pensando nisso, veja algumas orientações que podem te ajudar na escolha do próximo carro usado para sua família.

 

 

  1. Foque nos itens importantes na hora de escolher o carro usado da família:

    Pesquise na internet os prós e contras do veículo que deseja comprar, pesquise em blogs e fóruns de usuários sobre o modelo, sobretudo quanto à qualidade, performance, chamados de recall, preço do seguro, revisões e etc. Verifique também se não estão lançando uma nova versão do modelo ou se o carro esta saindo de linha, pois isso costuma depreciar o valor do veiculo.

  2. Pense no usado como uma boa opção em tempos de crise: 

    Com a atual crise econômica, a aquisição de um automóvel seminovo em bom estado de conservação, por um valor reduzido em relação a um zero, pode ser uma ótima opção. Após escolher o modelo do carro, inicie a busca dentro do orçamento disponível, mas lembre-se de verificar alguns itens que irão garantir segurança na compra.

  3. Faça uma consulta Checkauto;

    Dívidas anteriores à compra (multas, IPVA, Licenciamento), roubo ou furto em aberto, sinistro de indenização integral, veículo proveniente de leilão que tenha sofrido dano, histórico de registro de km, são algumas das informações que podem influenciar o valor do veículo.

    A ferramenta Checkauto (www.checkauto.com.br), por exemplo, pode ser uma boa fonte de pesquisa, pois possibilita a consulta desses itens sem sair de casa, de forma que o usuário não perde tempo com veículos que não atendam sua necessidade ou que tenham problemas considerados graves.

  4. Não compre sem fazer uma análise profunda: 

    Escolheu o modelo e selecionou o carro com melhor histórico? Agora não tem jeito, é preciso dar uma olhada no carro! Algumas dicas são fundamentais nessa hora: verifique se as condições das peças estão de acordo com a quilometragem do veículo, analise o desgaste das peças (como pneus, volante, freio, estofado e tapeçaria), certifique-se de que estepe, triangulo e o extintor estão em ordem, verifique se não há vazamento de óleo, dentre outros.

    Hoje em dia várias empresas prestam esses serviços, nos quais verificam se identificação, pintura e estrutura estão de acordo. A DEKRA, por exemplo, realiza uma vistoria completa do veículo, analisando mais de 105 itens. Se o veículo for aprovado a empresa emite uma garantia de procedência válida por 3 anos, além da garantia mecânica válida por 1 ano equivalente às de fábricas para veículos seminovos. Vale a pena contratar esse tipo de serviço, pois às vezes toda a economia feita comprando um usado pode ir por água abaixo se o motor fundir ou se houver um problema no câmbio, por exemplo.

  5. Não esqueça da parte burocrática: 

    Após comprar um veículo, é necessário fazer a comunicação de venda ao Departamento Estadual de Trânsito do município e a transferência em um prazo de até 30 dias. Para evitar dores de cabeça, não esqueça de pedir para o antigo proprietário assinar o CRV e reconhecer firma em cartório. Além disso, tire duas cópias autenticadas do recibo de transferência e fique com uma delas para recorrer em caso de eventuais infrações cometidas pelo proprietário anterior antes da data da venda.

    Anote a documentação que deve ser exigida na hora da compra: comprovante atual do pagamento do IPVA, cópias dos comprovantes dos dois anos anteriores, comprovante atual de pagamento do Seguro Obrigatório, certificado de Registro e Licenciamento de Veículos e certificado de Transferência (recibo) datado, preenchido e com firma reconhecida.

  6. Agora é hora de usar: 

    Agora que você já esta em posse do seu “novo” carro, é hora de pensar em medidas para minimizar seus riscos, com seguro e rastreadores. Além dos cuidados como: verificar o óleo do motor, a pressão dos pneus, alinhar e balancear periodicamente e etc.

 

O carro usado em bom estado de conservação é uma ótima opção e o consumidor não deve ter medo de procurar todas as ferramentas para diminuir os riscos dessa compra. Trata-se de um bem muito importante, usado diariamente por muitas famílias e que deve prezar pela segurança sempre.

 

 

5 BONS MOTIVOS PARA COMPRAR UM CARRO USADO

Com alguns cuidados, comprar um carro usado é um ótimo negócio.

Com a atual crise econômica, trocar de carro virou um luxo e optar por um zero está cada vez mais raro, basta ver a queda de 12% nas vendas de zeros no mês de janeiro de 2017 em relação à dezembro do ano anterior, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Já as vendas de seminovos (veículos de 0 a 3 anos) cresceram mais de 7% no acumulado até fevereiro, segundo dados Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Isso ocorre porque o zero se desvaloriza assim que sai da concessionária, e as entradas estão cada vez mais altas para o bolso do brasileiro.

Modelo de carro usado x novos

Com a atual crise econômica, veículos zero quilômetro, por custarem mais caro, ficam fora de cogitação para maior parte da população brasileira. Além disso, nos primeiros anos de uso, os carros zero sofrem a maior desvalorização de sua vida útil. Neste cenário, optar por um modelo de carro usado ou seminovo pode ser a escolha mais inteligente.

 

Pensando nisso, listamos cinco bons motivos para você optar por carro usado, na sua próxima compra de automóvel.

5 bons motivos para você optar por um carro usado

 

  1. Possibilita mais itens por um preço menor:

    O valor dos carros zero de entrada estão altos, girando em torno dos R$ 40 mil sem opcionais. Com esse mesmo valor, é possível adquirir um seminovo (com até três anos de uso) mais completo, sofisticado e com motor mais potente. E para os consumidores que não abrem mão do “cheirinho de novo”, já existem produtos no mercado que imitam o aroma.

  2. Economia para quem troca sempre de carro:

    O carro zero é indicado para quem pretende ficar com ele pelo menos três anos, pois sofre maior desvalorização nesses primeiros anos de uso. Se o comprador tem o hábito de trocar o veículo com certa frequência, o carro seminovo é ideal, pois evita perda desnecessária de dinheiro.

  3. Perfeitos para motoristas iniciantes:

    Os motoristas que acabaram de tirar a carteira de habilitaçãotendem a desgastar mais o carro por conta de sua pouca experiência na direção. Por isso o carro usado é uma escolha acertada, evitando preocupação excessiva com cuidados que podem frear o aprendizado do novo motorista.

  4. Com cautela, é bom negócio: 

    Apesar de ser economicamente mais atrativo do que um zero, é preciso estar atento. Alguns golpes podem ser aplicados como adulteração de chassi, duplicidade de motor, documentos roubados, entre outros. Por isso, antes de finalizar a compra, é muito importante verificar o histórico do veículo. Hoje já existem serviços do tipo disponíveis online e com preços acessíveis. A Checkauto, por exemplo, permite a verificação apenas com o número da placa do veículo.

  5. Veículo na garantia:

    Está preocupado com a garantia de fábrica? Hoje é possível ter garantia semelhante à de fábrica para veículos seminovos. A DEKRA, por exemplo, oferece uma vistoria completa, com análise de mais de 105 itens do veículo, e posteriormente uma Garantia mecânica equivalente à de fábrica para veículos seminovos.

 

Row of different used cars

Lembre-se sempre de fazer uma consulta de histórico e uma vistoria de procedência antes de comprar um carro usado.

Tomando alguns cuidados, como a checagem de procedência Checkauto e a vistoria do veículo na DEKRA, é possível comprar um carro usado em boas condições, com segurança e comodidade. A vantagem é que as margens de negociação permitem adquirir um carro até mais equipado e potente do que um zero quilômetro, o que pode ser uma grande vantagem para os consumidores com o orçamento mais apertado. E você, está pensando em trocar seu carro por um usado? Conte-nos sua experiência nos comentários!

VOCÊ SABE OS PERIGOS DE COMPRAR UM CARRO BAIXADO?

Consulta de histórico veícular Checkauto explica os perigos de comprar um carro baixado

Segundo relatório divulgado em dezembro de 2016 pela Checkauto, 6% dos carros consultados no sistema de consulta de histórico Checkauto apresentaram a restrição “carro baixado”.

O problema é que muitos usuários não sabem do que se trata essa restrição e podem acabar fazendo um péssimo negócio ao adquirir um carro usado.

A expressão “veículo baixado” não tem qualquer ligação com problemas na suspensão, mas sim se refere a um carro que teve sua circulação vetada pelo Departamento Nacional de Trânsito (DETRAN).

Na prática, isso significa que o carro já sofreu uma batida séria, com danos irreparáveis ao chassi.

Por conta disso, o chassi sofre “baixa” no cadastro do DETRAN, já que representa perigo e poderia causar acidentes se estivesse em circulação.

Uma vez fora do sistema, esse carro tem sua circulação vetada, e pode ser vendido apenas como sucata ou para reposição de algumas peças, já pré-determinadas.

O maior problema é que a cultura do “jeitinho brasileiro” faz com que alguns vendedores ajam de má fé.

Eles compram esses carros, fazem reparos e consertos para maquiar os problemas e conseguem, de maneiras ilegais, regularizar essa documentação para vendê-los como se estivessem em conformidade.

A importância da consulta de histórico veícular

Neste caso, o recomendável, segundo especialistas, é fazer uma consulta de histórico veicular completa e confirmar o histórico do carro antes de fechar o negócio, pois após o pagamento fica muito difícil desfazer a negociação, principalmente se tratando de um golpista.

Esse tipo de golpe coloca nas ruas automóveis que tiveram sua circulação proibida justamente por representarem perigo aos demais motoristas.

No caso da compra de um carro com essa restrição, o comprador sai em um prejuízo enorme, pois pode pagar por um carro que irá apresentar problemas graves em pouco tempo.

As avarias externas podem até ser consertadas, mas a estrutura do carro está comprometida. Quem compra um carro assim coloca sua família em risco e pode ficar na mão a qualquer momento.

Fique atento antes de comprar um carro usado

Para quem vai comprar um carro usado e quer fazer uma escolha mais segura em relação à procedência do veículo, existem empresas que oferecem serviços de pesquisa de procedência e histórico.

A Checkauto oferece em seu serviço de consulta do histórico veicular mais de 40 informações, como histórico de km, histórico de leilão, chamados de recall e se o carro está baixado.

Evite comprar carro sem saber seu historico.

Desconfie de ofertas atrativas demais ou de carros com preços muito abaixo dos de tabela. E sempre procure uma ferramenta de consulta para te garantir uma compra mais transparente e segura.

Lembre-se, consulta de histórico veícular é Checkauto (www.checkauto.com.br),

 

 

Mario Cassio Mauricio diz quais cuidados tomar na hora de comprar um carro usado

Nosso CEO Mario Cassio Mauricio falou um pouco sobre os cuidados que devemos tomar na hora de comprar um carro usado. A entrevista foi feita pelo jornalista Heródoto Barbeiro, do Record News.

Confira a entrevista na íntegra:

Vistoria prévia ajuda no combate às fraudes contra seguradoras

As fraudes são um dos maiores problemas para a indústria de seguros no Brasil, impactando diretamente os resultados das empresas e a oferta de soluções aos clientes, que sofrem com prêmios com valores cada vez mais elevados. Segundo o portal Fraudes.org, os seguros de carros são os que mais sofrem com fraudes, com 70% do volume total. No Brasil, a Confederação Nacional das Seguradoras dão (CNseg), por meio do Sistema de Quantificação de Fraudes (SQF), apontou que em 2013, cerca de 9% dos sinistros apresentaram irregularidades, o que representa um valor de mais de R$ 2 bilhões em indenizações.

 

Diante desse cenário, especialistas do Grupo Dekra explicam como o serviço de vistoria prévia pode impactar o setor ao evitar fraudes, beneficiando seguradoras e consumidores. “A vistoria prévia atua principalmente como ferramenta de seleção de riscos, que, consequentemente, podem evitar fraudes. Isto porque dentro do processo de análise, além das verificações realizadas presencialmente pelo vistoriador, também checamos nosso banco de dados para checar se este veículo foi vistoriado anteriormente e se este possui algum item restritivo. Além disto, só o fato de ser solicitada a vistoria prévia é um inibidor automático da fraude, já que o segurado sabe que o bem somente será segurado mediante a realização e aprovação da vistoria prévia”, explica Leonardo Ianegitz, diretor de Operações do Grupo Dekra no Brasil.

 

A Dekra estima que cerca de 20% das vistorias realizadas apresentam algum tipo de restrição, mas não tem o indicador de quantos casos destes foram identificados como fraude de fato. A empresa possui um Comitê Técnico que analisa os casos mais sensíveis reportados pelo mercado. Hoje, anualmente, são analisados cerca de 15 processos. A área de vistoria prévia tem destaque dentro do portfólio da empresa, seja por sua relevância no volume, seja pela liderança no mercado. Hoje, esse tipo de serviço representa cerca de 65% do faturamento do Grupo no Brasil.

 

Sua importância é chave para o mercado segurador no que tange a imparcialidade “Com o trabalho de uma terceira parte isenta, como é a atuação da Dekra, tanto a seguradora quanto o segurado têm a segurança de que o serviço será realizado de acordo com os procedimentos acordados dentro da política de cada cliente, sem que haja direcionamento para aceitação/recusa do item”, afirma Ianegitz. Além disso, a partir do serviço de Vistoria Prévia, a Dekra conseguiu criar uma série de serviços focados na promoção da isenção e da segurança nas transações com veículos usados em todo o mundo, com destaque para serviços de varejo, gestão de veículos usados, avaliação de retomados/financeiras, entre outros. “Acreditamos que o trabalho de prevenção seja chave para uma sociedade com cultura de segurança no trânsito. E essa prevenção passa pela vistoria prévia, pela ação das seguradoras e pela relação transparente com os consumidores. Queremos ser parte dessa cultura, fomentando boas práticas e informação relevante ao setor e aos usuários”, finaliza o executivo.

 

Na Semana Nacional do Trânsito, DEKRA apresenta dicas para um trânsito mais seguro

Os próximos dias marcam a “Semana Nacional do Trânsito” no Brasil, que ocorre anualmente entre 18 e 25 de setembro, sendo o Dia Nacional do Trânsito comemorado no dia 25 de setembro. O principal objetivo dessas datas é o desenvolvimento da conscientização sobre segurança no trânsito, tanto para motoristas quanto para pedestres.
O Dia Nacional do Trânsito foi instituído com a criação do Código de Trânsito Brasileiro, em setembro de 1997. Todos os anos o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) escolhe um tema específico para ser debatido ao longo da semana. Em 2016, o tema escolhido foi “Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”.
Segundo o Denatran, o tema acompanha a evolução das ações de campanha de educação de trânsito do órgão. O Brasil é um dos países com mais acidentes de trânsito, nos quais morrem por ano aproximadamente 40 mil pessoas. Por isso, o trabalho de educação e conscientização é tão importante para que as estatísticas alarmantes de acidentes nas estradas possam mudar.
Tendo a segurança no trânsito como um de seus propósitos corporativos, o Grupo Dekra, líder global em inspeção veicular e líder em serviços de vistoria automotiva no Brasil, apresenta, como parte de seu apoio à Semana Nacional de Trânsito, três dicas para criar uma cultura de prevenção de acidentes e uma vida mais segura no trânsito em todo o País.
1. Converse com seus filhos e amigos
A criação de uma cultura de prevenção e atenção no trânsito passa pela educação. E a educação para o trânsito já é pauta em muitas escolas, mas deve começar em casa. Converse com seus filhos sobre atitudes seguras nas ruas e estradas, tanto como pedestres quanto como motoristas. Ensine as regras básicas como as cores do sinal e a importância da faixa de pedestres. Ensine que respeitar a velocidade limite é fundamental e que um trânsito mais seguro é uma construção coletiva.
Mas não se atenha apenas às crianças. A educação passa também por amigos e familiares. Ao ver um amigo que está de carro beber, não hesite em pedir que ele vá embora de táxi ou uber. Faça o seu papel de cidadão e comece a influenciar positivamente as pessoas ao seu redor, com orientações, exemplos e boas práticas.
2. Dê o exemplo
De nada vai adiantar orientar se você não seguir o que fala. Não basta saber quais são as regras, é preciso segui-las. Dê sempre o exemplo. Uma pesquisa do Hospital Samaritano, realizada em janeiro desse ano, revelou que 80% dos motoristas paulistanos dirigem e usam o celular ao mesmo tempo.
Ao usar seu telefone enquanto dirige, pense que seu filho pode estar vendo isso e achando que é correto. Ou outros motoristas podem estar vendo e achar normal, replicando a mesma atitude.
“A uma velocidade de 50 km/h, motoristas que olham para o aparelho por cinco segundos percorrem uma distância de cerca de 70 metros sem saber do que se passa ao seu redor sendo incapaz de reagir a qualquer coisa que possa acontecer na estrada. Nessa velocidade, um segundo de desatenção é equivalente a 15 metros de direção às cegas”, explica Mário Maurício, CEO da DEKRA no Brasil.
O mesmo vale para quando você for o pedestre. Não atravesse o farol vermelho, procure sempre a faixa de pedestres, faça questão de adotar um comportamento seguro e replicar o exemplo para quem está ao seu redor.
3. Exerça a empatia
No trânsito, a empatia é fundamental. Não adianta adotar uma postura segura se os demais motoristas não adotarem, pois você estará em risco do mesmo jeito. Por isso, sempre pense nas atitudes que podem ter levado um motorista a cometer um erro e evite o conflito. O mesmo vale para o seu comportamento. Não aja pensando apenas no julgamento alheio, mas no que você gostaria que fosse feito com você. Eu posso correr aqui porque é uma área sem radar ou isso é errado porque é contra as regras? Devo estacionar aqui pois sei que o local não tem fiscalização ou vou prejudicar um comerciante ou impossibilitar a entrada em uma residência? Pense no coletivo e as respostas serão fáceis.
“Nessa Semana Nacional do Trânsito, fazemos um apelo a motoristas, ciclistas e pedestres para que mantenham sua atenção plena nas ruas e estradas, respeitando o próximo e sem distrações com smartphones e outros dispositivos. Muitas pessoas parecem não perceber a dimensão do risco que se submetem ao usar o celular no trânsito, seja motorista ou pedestre. Além disso, está data é ideal para lembrar que o respeito pelo outro é fundamental para um trânsito mais seguro”.
Os comentários estão desativados.
Os próximos dias marcam a “Semana Nacional do Trânsito” no Brasil, que ocorre anualmente entre 18 e 25 de setembro, sendo o Dia Nacional do Trânsito comemorado no dia 25 de setembro. O principal objetivo dessas datas é o desenvolvimento da conscientização sobre segurança no trânsito, tanto para motoristas quanto para pedestres.
O Dia Nacional do Trânsito foi instituído com a criação do Código de Trânsito Brasileiro, em setembro de 1997. Todos os anos o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) escolhe um tema específico para ser debatido ao longo da semana. Em 2016, o tema escolhido foi “Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”.
Segundo o Denatran, o tema acompanha a evolução das ações de campanha de educação de trânsito do órgão. O Brasil é um dos países com mais acidentes de trânsito, nos quais morrem por ano aproximadamente 40 mil pessoas. Por isso, o trabalho de educação e conscientização é tão importante para que as estatísticas alarmantes de acidentes nas estradas possam mudar.
Tendo a segurança no trânsito como um de seus propósitos corporativos, o Grupo Dekra, líder global em inspeção veicular e líder em serviços de vistoria automotiva no Brasil, apresenta, como parte de seu apoio à Semana Nacional de Trânsito, três dicas para criar uma cultura de prevenção de acidentes e uma vida mais segura no trânsito em todo o País.
1. Converse com seus filhos e amigos
A criação de uma cultura de prevenção e atenção no trânsito passa pela educação. E a educação para o trânsito já é pauta em muitas escolas, mas deve começar em casa. Converse com seus filhos sobre atitudes seguras nas ruas e estradas, tanto como pedestres quanto como motoristas. Ensine as regras básicas como as cores do sinal e a importância da faixa de pedestres. Ensine que respeitar a velocidade limite é fundamental e que um trânsito mais seguro é uma construção coletiva.
Mas não se atenha apenas às crianças. A educação passa também por amigos e familiares. Ao ver um amigo que está de carro beber, não hesite em pedir que ele vá embora de táxi ou uber. Faça o seu papel de cidadão e comece a influenciar positivamente as pessoas ao seu redor, com orientações, exemplos e boas práticas.
2. Dê o exemplo
De nada vai adiantar orientar se você não seguir o que fala. Não basta saber quais são as regras, é preciso segui-las. Dê sempre o exemplo. Uma pesquisa do Hospital Samaritano, realizada em janeiro desse ano, revelou que 80% dos motoristas paulistanos dirigem e usam o celular ao mesmo tempo.
Ao usar seu telefone enquanto dirige, pense que seu filho pode estar vendo isso e achando que é correto. Ou outros motoristas podem estar vendo e achar normal, replicando a mesma atitude.
“A uma velocidade de 50 km/h, motoristas que olham para o aparelho por cinco segundos percorrem uma distância de cerca de 70 metros sem saber do que se passa ao seu redor sendo incapaz de reagir a qualquer coisa que possa acontecer na estrada. Nessa velocidade, um segundo de desatenção é equivalente a 15 metros de direção às cegas”, explica Mário Maurício, CEO da DEKRA no Brasil.
O mesmo vale para quando você for o pedestre. Não atravesse o farol vermelho, procure sempre a faixa de pedestres, faça questão de adotar um comportamento seguro e replicar o exemplo para quem está ao seu redor.
3. Exerça a empatia
No trânsito, a empatia é fundamental. Não adianta adotar uma postura segura se os demais motoristas não adotarem, pois você estará em risco do mesmo jeito. Por isso, sempre pense nas atitudes que podem ter levado um motorista a cometer um erro e evite o conflito. O mesmo vale para o seu comportamento. Não aja pensando apenas no julgamento alheio, mas no que você gostaria que fosse feito com você. Eu posso correr aqui porque é uma área sem radar ou isso é errado porque é contra as regras? Devo estacionar aqui pois sei que o local não tem fiscalização ou vou prejudicar um comerciante ou impossibilitar a entrada em uma residência? Pense no coletivo e as respostas serão fáceis.
“Nessa Semana Nacional do Trânsito, fazemos um apelo a motoristas, ciclistas e pedestres para que mantenham sua atenção plena nas ruas e estradas, respeitando o próximo e sem distrações com smartphones e outros dispositivos. Muitas pessoas parecem não perceber a dimensão do risco que se submetem ao usar o celular no trânsito, seja motorista ou pedestre. Além disso, está data é ideal para lembrar que o respeito pelo outro é fundamental para um trânsito mais seguro”.


18% dos carros usados apresentaram restrições para compra em agosto

A Checkauto, uma empresa do Grupo DEKRA, acaba de divulgar seu relatório mensal de restrições e riscos evitados ao cliente. Segundo dados do mês de agosto, 18% das consultas realizadas na plataforma on-line trouxeram algum tipo de informação que afetam o valor do veículo consultado.

 

De acordo com as informações, a Checkauto evitou um prejuízo de mais de R$ 399 milhões para os consumidores que contrataram seus serviços. Para se ter uma ideia, a cada R$1 real investido na consulta, o retorno é de R$ 63,09 em riscos evitados para o cliente.

 

Abaixo, José Félix, especialista em risco e responsável pela Checkauto, explica cada uma das restrições mais citadas como impeditivo de compra:

 

Chamado de Recall: essa foi a restrição mais recorrente ao longo do mês, com 25%. Trata-se de um risco comum e pode impactar na segurança do novo proprietário, caso não seja identificado. “Imagine que o carro sofreu um chamado de recall, mas o antigo proprietário não atendeu. Esse problema pode surgir na sua mão, implicando sérios riscos de segurança. Temos casos em que falhas em peças causaram grandes acidentes. Então esse é uma restrição bem séria”, explica Félix;
Bem penhorado: Imagine comprar um carro e depois descobrir que ele era um bem penhorado e não poderia ter sido vendido? Pois essa foi a descoberta em 9,8% das consultas realizadas somente no mês de julho. “O risco aqui é óbvio: o comprador paga e acaba ficando sem o carro já que não consegue nem fazer a transferência do bem para seu nome. É prejuízo na certa”;
Restrição de roubo e furto: 6% dos carros consultados constavam como roubados. Caso o novo proprietário desconheça a informação, além de ter seu nome envolvido em um processo criminal, tendo que vir a provar que não é responsável pelo roubo, ele não conseguirá transferir o bem para o seu nome. “Mais uma vez, o comprador paga e acaba ficando sem o bem, podendo até ter que gastar com um processo judicial”, explica o especialista;

 

Histórico de leilão: 13% dos carros haviam sido disponibilizados para leilão por algum motivo. Nesse caso, essa é uma informação que pode impactar a negociação do valor de venda do veículo. “Ao ter total transparência sobre o histórico do carro, o comprador tem mais clareza para dar uma oferta justa, e não se lesar posteriormente. No caso do carro que já foi a leilão, a informação é o poder de barganha do comprador”;
Carro baixado: 6% dos carros consultados aparecem com essa restrição. Na prática, isso significa que o carro sofreu uma séria batida, com danos irreparáveis ao chassi e por conta disso, o veículo sofre “baixa” no cadastro do DETRAN. Esse carro não poderia nem estar circulando muito menos estar sendo vendido. “Veículos como esse representam riscos enormes a segurança já que as partes estruturais do carro foram gravemente atingidas não podendo ser reparadas. Além disso, o comprador não consegue transferir o veículo para o seu nome sendo um prejuízo tanto para o bolso quanto para a vida.”;

 

“Ao divulgarmos estes dados queremos salientar a importância de uma compra segura e transparente para todas as partes. A Checkauto se orgulha de evitar uma série de riscos aos consumidores de todo o País e trabalha para reforçar a cultura da compra segura entre consumidores e revendedores”, afirma José Félix, responsável pela área de serviços de varejo do Grupo DEKRA e pela Checkauto.

 

 

DEKRA recebe selo de Excelência em Franchising

 A líder em vistoria automotiva também é reconhecida pelo ótimo trabalho com a rede franqueada

 

São Paulo, abril de 2016 – O Grupo DEKRA, líder global em inspeção veicular que atua com serviços de segurança para todo ciclo de vida do veículo, acaba de ser reconhecido com o Selo de Excelência em Franchising 2016, concedido pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) aos franqueadores avaliados em itens como lucratividade, relação custo/benefício, solução de conflitos, treinamento e qualificação de pessoal, dentre outros, segundo avaliação de sua rede franqueada.

 

Líder em serviços de vistoria automotiva no Brasil, o Grupo DEKRA está na categoria Master, na qual se enquadram as redes que operam no modelo de franchising há mais de dez anos e possuem mais de 60 franqueados. O Selo da ABF tem validade de um ano, e pode ser revogado caso a rede não cumpra algumas regras estabelecidas pela entidade.

 

A entrega do Selo de Excelência ABF 2016 ocorreu na última semana, em São Paulo, e contou com a presença de Leonardo Ianegitz, diretor de Operações, Nelson Simione, responsável pelo departamento de Treinamento, Paulo Barcelos, responsável pelo departamento de Franquias e André Biscaro, coordenador de Franquias da DEKRA. Além da chancela de excelência, a DEKRA recebeu um prêmio especial por ter mais de 10 selos em sua história no franchising.

 

“Essa certificação é um reconhecimento pela dedicação, comprometimento, qualidade e seriedade dos serviços prestados pela nossa Rede”, afirma Ianegitz. “Esse é um prêmio que tem origem na percepção de nossa rede de franqueados, avaliando itens que envolvem diretamente o suporte que damos à rede, como solução de conflitos e treinamento de pessoal. Por isso, o sentimento de dever cumprido é ainda maior”, finaliza o executivo.

 

 

 

DEKRA tem estratégia de expansão regional para segundo semestre

Focando nos serviços para atacado, a líder em vistorias prevê crescimento de 7% em relação a 2015

 

São Paulo, maio de 2016 – Focando no fornecimento de serviços adaptados às necessidades de cada região do País, o Grupo DEKRA, líder global em inspeção veicular e líder em serviços de vistoria automotiva no Brasil, divulga sua estratégia de crescimento para o próximo semestre. “Estamos realizando um mapeamento regional com o objetivo de identificar oportunidades para que possamos colocar em prática planos de ação de acordo com as características de cada região”, explica Leonardo Ianegitz, diretor de Operações do Grupo DEKRA no Brasil. “Mesmo considerando todo o cenário do mercado Automotivo e Segurador, nosso objetivo é crescer  em relação à 2015”.

 

Para viabilizar esse crescimento, o grupo DEKRA vem investindo constantemente no serviço de vistoria prévia, que é a base para todos os demais serviços oferecidos pela empresa atualmente. Foi por meio de sua evolução que a DEKRA desenvolveu serviços voltados para avaliação, recuperação/retomada de veículos e soluções para o consumidor final, concessionárias e revendas. Mesmo com a diversificação do portfólio, a vistoria prévia ainda é o carro chefe da DEKRA, o que justifica o investimento.

 

Por conta disso, recentemente a empresa implantou o SMART, uma plataforma para gestão da rede franqueada totalmente digital e com aplicativo mobile Android. “Estamos investindo em treinamento, formação e melhorias de performance, tudo para atender às necessidades do mercado”, destaca Ianegitz. “Um dado que ilustra o avanço conseguido com estes investimentos é o nosso Lead Time (tempo total do ciclo da vistoria desde o agendamento até o aceite do cliente), que antes da implantação do SMART era de mais de dois dias, e hoje é de 1,3 dias em todo Brasil”.

 

Para o executivo, o grande desafio é manter o crescimento e ratificar a liderança de mercado. “Temos investido em revisões de processo e ganhos de performance para continuarmos em crescimento. A principal expectativa do segmento gira em torno do seguro popular, com o qual teremos uma real possibilidade do aumento da frota segurada e a avaliação de veículos que não possuem registro de vistoria no mercado. Com isso, a vistoria prévia se torna fundamental para apoiar as Seguradoras no processo de seleção de risco considerando que para cada real investido em seleção de risco pelos nossos clientes, conseguimos hoje proporcionar um retorno de R$ 135,00, explica.

 

Segundo Ianegitz, a capilaridade e a presença nacional da DEKRA são parte central da estratégia de expansão regional. “A DEKRA oferece a maior capilaridade do país com mais de 460 postos de atendimento, chegando a 4.800 municípios, estrutura esta que dá total suporte as necessidades dos nossos clientes.”, destaca.