O perigo se esconde no ponto cego

De acordo com dados publicados pelo Clube Automobilístico Alemão (ADAC), 34 ciclistas perderam a vida em 2018 em acidentes envolvendo caminhões dobrando uma esquina. O perigo se esconde no ponto cego – a área não visível na frente e ao lado do veículo.

Na Alemanha, a ajuda para diminuir esse problema, está disponível o assistente de torneamento, onde se outro usuário da estrada estiver localizado no ângulo morto, o motorista recebe um aviso visual e, com alguns sistemas, um aviso acústico opcional.

Os sistemas podem ser adaptados e são testados pela DEKRA Automotive Test Center na pista de Lausitzring, em Klettwitz. Dependendo do fabricante, os assistentes de viragem usam câmeras, sensores ultrassônicos e/ou radar para monitorar uma faixa de 1,6 metros de largura e 6 metros de comprimento ao lado do caminhão, com a área coberta começando na frente do veículo e 0,9 metros para o lado.

Na prática, se um ciclista ou pedestre for detectado no ângulo morto do lado do passageiro, uma luz amarela de advertência é ativada no painel. Uma luz vermelha pisca se houver risco de colisão – e isso é acompanhado por um sinal acústico de alerta.

Inúmeras empresas já identificaram o potencial. A DEKRA, por exemplo, instalou o sistema de alerta nos caminhões de sua frota. Nos países que integram a União Europeia, os assistentes de viragem serão obrigatórios em todos os novos veículos comerciais a partir de 2024 e serão obrigatórios a partir de 2022 para todos os novos modelos de veículos.